Alteridade como instrumento de preservação da dignidade humana durante a vivência da morte

Rafael Verdival

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar como a alteridade pode ser aplicada como um instrumento capaz de trazer dignidade à vida durante o processo de morrer, garantindo, assim, uma morte digna. Para tanto, inicialmente, analisa-se alguns aspectos do ideário de morte e como o processo de morrer pode ser compreendido à luz da dignidade da pessoa humana. Em seguida, fundamenta-se o conceito de alteridade a partir do reconhecimento do outro como outro e do respeito às suas diferenças. Por fim, analisa-se como a aplicação da alteridade em contextos envolvendo o fim da vida contribui para a efetivação de uma vida digna durante o processo de morte. Utiliza-se o método hipotético-dedutivo juntamente com a pesquisa bibliográfica.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Mônica. O arquétipo da alteridade como paradigma necessário ao afastamento da alienação parental. In: Direito de família CONPEDI/UFPB; Coordenadores: Carolina Valença Ferraz, José Sebastião de Oliveira, Luciana Costa Poli. Florianópolis: CONPEDI, 2014, p. 241-247.

AGUIAR, Mônica Neves; MEIRELES, Ana Thereza. Autonomia e alteridade como fundamentos da construção do sentido de dignidade existencial diante do direito à vida. Revista Brasileira de Direito Animal, v. 13, n. 1, 2018. Disponível em: < https://portalseer.ufba.br/index.php/RBDA/article/view/26220> Acesso em 18 nov. 2020.

AGUIAR, Roberto. Alteridade e rede no direito. Veredas do Direito, v. 3, n. 6, p. 11-43, jul./dez. 2006. Disponível em < https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/7564/1/ARTIGO_AlteridadeRedeDireito.PDF> Acesso em 18 nov. 2020.

ARAÚJO, Ana Thereza; SILVA, Mônica. Prática médica e diretivas antecipadas de vontade: uma análise ético-jurídica da conformação harmônica entre os pressupostos autonomia e alteridade. Revista Jurídica Cesumar, v. 17, n. 3, set./dez. 2017. Disponível em < https://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/revjuridica/article/view/5686> Acesso em 18 nov. 2020.

ARAÚJO, Ana Thereza Meireles; ALEGRIA, Lívia. A vulnerabilidade social dos sujeitos hiv positivo: a alteridade como fundamento para a mitigação do estigma. Revista Eletrônica de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, n. 37, p. 77-93, jan./abr. 2019. Disponível em < https://revistas.newtonpaiva.br/redcunp/wp-content/uploads/2020/03/DIR37-05.pdf> Acesso em 18 nov. 2020.

BEAUCHAMP, Tom; CHILDRESS, James. Principles of biomedical ethics. 4ª edition. New York: Oxford University Press, 1994.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução 1805/2006. Disponível em: < http://www.portalmedico.org. br/resolucoes/cfm/2006/1805_2006.htm> Acesso em 18 nov. 2020.

EPICURO. Carta sobre a felicidade: a Meneceu; tradução de Álvaro Lorencini e Enzo Del Carratore. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

FOUCAULT, Michel. A microfísica do Poder. 8ª edição. Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREITAS, Riva Sobrado de; ZILIO, Daniela. O direito à morte digna sob a perspectiva do direito à autonomia do paciente terminal. Revista de Biodireito e Direitos dos Animais, v. 2, n. 1, 2016. Disponível em < https://www.indexlaw.org/index.php/revistarbda/article/view/281> Acesso em 18 nov. 2020.

NEVES, Maria do Céu Patrão. Alteridade e deveres fundamentais: uma abordagem ética. Revista Direitos Fundamentais e Alteridade, v. 1, n. 1, 2017. Disponível em: Acesso em 08 nov. 2020.

REIS, Émilien Vilas Boas; NAVES, Bruno Torquato de Oliveira. O nascimento do direito à alteridade na cidade. Veredas do Direito, v. 14, n. 29, p. 55-79, maio/ago. 2017. Disponível em < http://revista.domhelder.edu.br/index.php/veredas/article/view/1071/613> Acesso em 18 nov. 2020.

RIBEIRO, Geraldo Rocha. Fim de vida e recusa de tratamento médico no direito Português. Revista Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário, v. 5, n. 3, p. 119-134, jul./set 2016. Disponível em < https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/download/328/399/> Acesso em 18 nov. 2020.

RISCO, Davi Larios. Decisiones al final de la vida en el ordenamiento jurídico español. Revista Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário, v. 1, n. 2, p. 1-23, jul./dez. 2012. Disponível em < https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/43> Acesso em 18 nov. 2020.

SÁ, Maria de Fátima Freire de; MOUREIRA, Diogo Luna. O direito subjetivo à morte digna: uma leitura do direito brasileiro a partir do caso José Ovídio González. Civilistica.com, a. 5, n.2, 2016. Disponível em < http://civilistica.com/o-direito-subjetivo-a-morte-digna/> Acesso em 18 nov. 2020.

SÁ, Maria de Fátima Freire de; OLIVEIRA, Lucas Costa de. O caso Charlie Gard: em busca da solução adequada. Revista M, v. 2, n. 4, 2017. Disponível em < http://www.seer.unirio.br/index.php/revistam/article/view/8171/7037> Acesso em 18 nov. 2020.

SCHRAMM, Fernando. Morte e finitude em nossa sociedade: implicações do ensino dos cuidados paliativos. Revista Brasileira de Cancerologia, 48 (1), p. 17-20, 2002. Disponível em < http://www1.inca.gov.br/rbc/n_48/v01/pdf/opiniao.pdf> Acesso em 18 nov. 2020.

SILVA, Heleno Florindo da; LEITE, Carlos Henrique Bezerra. A ética da alteridade e da responsabilidade e o direito à moradia digna: uma análise da responsabilidade social do estado e da sociedade na busca pela efetivação dos direitos humanos fundamentais sociais metaindividuais. Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFC, v. 36, n. 2, jul./dez. 2016. Disponível em Acesso em 18 nov. 2020.

SILVA, Érica Quinaglia. Ideário da morte no Ocidente: a bioética em uma perspectiva antropológica crítica. Revista Bioética, v. 27, n. 1, 2019. Disponível em Acesso em 18 nov. 2020.

TEIXEIRA, Ana Carolina Brochado. Autonomia existencial. Revista Brasileira de Direito Civil, v. 16, p. 75-104, abr./jun. 2018. Disponível em < https://rbdcivil.ibdcivil.org.br/rbdc/article/view/232 > Acesso em 18 nov. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Direitos Fundamentais e Alteridade