ALTERIDADE E DEVERES FUNDAMENTAIS: UMA ABORDAGEM ÉTICA

Maria do Céu Patrão Neves

Resumo


A compreensão da “alteridade” é hoje fundamental como paradigma da moralidade das relações humanas. Por isso, procederei a uma reflexão sobre o conceito de “alteridade”, percorrendo a história da filosofia em que este efetivamente se vai construindo numa significação ao mesmo tempo ampla e singular. Pretendo, assim, justificar primeiramente que, não obstante o ancestral uso comum da noção de “alteridade”, o seu sentido específico é extraordinariamente recente, formulando-se apenas na segunda metade do século XX; em segundo lugar, que é de natureza intrínseca e essencialmente ética, isto é, que a sua própria afirmação implica um modo particular de agir, que a sua assunção encerra uma orientação precisa para a acção.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Direitos Fundamentais e Alteridade