Nascimento,$space}Eliana Brito
Diseertaão, Universidade Católica do Salvador
setembro, 2014
 

Resumo

Construção do Projeto Ético Político do Serviço Social a Partir do Estudo de Caso de um Hospital Psiquiátrico da Bahia

Resumo:
Este estudo busca refletir sobre o trabalho cotidiano das(os) Assistentes Sociais, dentro dos pressupostos da Reforma Psiquiátrica Brasileira, na perspectiva de entender como estes profissionais podem, através do seu trabalho, dar materialidade ao Projeto Ético Político da categoria. O questionamento parte da reflexão sobre dois processos em construção no contexto da sociedade brasileira, e que têm seu ponto de convergência no exercício profissional das(os) Assistentes Sociais inseridas(os) no campo da Saúde Mental. São estes processos: A construção, a partir de um processo histórico de organização das(os) Assistentes Sociais brasileiras(os), de um Projeto Ético Político profissional hegemônico para a categoria; e a consolidação, no âmbito das Políticas Públicas brasileiras, de um processo de transformação das respostas sociais à problemática da “loucura” que, no âmbito da saúde, propõe o redirecionamento do modelo de atenção à saúde mental, denominado Reforma Psiquiátrica. Tendo em vista que ambos são processos complexos, inseridos no contexto social contraditório, cuja materialização pressupõe a reflexão e ação dos sujeitos sociais envolvidos, considera-se a existência de fatores, dificuldades, contradições que os condicionam, operando avanços e retrocessos. Ambos, Reforma Psiquiátrica e Projeto Ético Político, inscrevem-se no contexto de disputa de projetos societários, sujeitos ao jogo das forças políticas e econômicas. Deste modo, a Pesquisa tem a relevância de contribuir para o amadurecimento das discussões em torno do trabalho profissional da(o) Assistente Social, em suas relações interdisciplinares, no complexo campo da Saúde Mental, considerando o acúmulo ético – político, teórico – metodológico e técnico – operativo desta categoria. A Pesquisa buscou, pois, analisar como se constrói, no trabalho cotidiano das(os) Assistentes Sociais, o Projeto Ético Político, dentro dos pressupostos da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Estabeleceu, como objetivos específicos: Identificar, no trabalho das Assistentes Sociais, no campo da Reforma Psiquiátrica brasileira, a construção dos elementos ético-políticos, teórico-metodológicos e técnico-operativos do Projeto Ético Político do Serviço Social; destacar os pontos de convergência e divergência entre a Reforma Psiquiátrica brasileira e o Projeto Ético Político do Serviço Social; Para tanto, foi realizado um desenho de Estudo de Caso analítico - descritivo, elegendo como campo um Hospital Psiquiátrico localizado em Salvador. Teve respaldo na Teoria da Estruturação de Anthony Giddens, utilizando-se da Etnografia. Como Instrumentos de Coleta de dados, foram utilizados entrevistas com Informantes Qualificados, além de pesquisa documental e bibliográfica. Os dados coletados foram analisados com base na Análise de Conteúdo (BARDIN, 2012). A triangulação dos dados define, como fio condutor da análise, a existência de uma disputa entre o Modelo Asilar e o Modelo de Atenção Psicossocial que atravessa a história da Instituição, sendo o Serviço Social signatário deste último.


Abstract:
This study aims to reflect on the nature of the daily work of Social Workers, considering the assumptions of the Brazilian Psychiatric Reform, within the perspective of understanding how these professionals, through their work, can implement the Ethical and Political Project of that profession. This questioning starts from the reflection on two processes in the construction of the Brazilian social context, related to the professional performance of Social Workers inserted in Mental Health. These two processes are: the construction, trough the historical process of the organization of the Brazilian Social Work, of an Hegemonic Professional Ethical Political Project for that profession; and the consolidation, in the context of Brazilian Public Policies, of the process of giving social answers to the problem of the “madness” which, in the health environment, proposes a new way to the mental health services, called Psychiatric Reform. Considering that the two processes are complex, inserted in a contradictory social context, whose realization involves reflection and action of the concerned social subjects, the reality of existing factors, difficulties and contradictions that are determining them, may create improvements and retrogressions. The psychiatric Reform as well as the Ethical Political Project are enrolled in the fight between opponent social projects, subjected to the political and economic forces in presence. In that way, this research should contribute to maturing discussions on the professional achievement of Social Workers, through interdisciplinary relations, in the complex field of Mental Health, considering the cumulative ethical – political, theoretical – methodological and technical-operational development of this profession.This research aims to analyse how is constructed, in the daily work of Social Workers, the Ethical Political Project, into the Brazilian Psychiatric Reform proposals. The specific objectives are: Identify, in the work of Social Workers, through the Brazilian Psychiatric Reform, the ethical-political, theoretical-methodological and technical-operational elements of the Ethical Political Project of Social Work; highlight the points of agreement or of divergence between the Brazilian Psychiatric Reform and the Ethical Political of Social Work. Therefore, an analytic and descriptive Case Study research design was used, selecting a Psychiatric Hospital of Salvador as research fieldwork, with the support of Anthony Giddens’s Structuration Theory, in an ethnographical perspective. As data collecting instruments were used interviews with key informants, apart documental and bibliographical reviews. The collected data were analysed with the Content Analysis Method of Bardin (2012). The triangulation of data sets, such as thread of the analysis, the existence of a dispute between the asylum Model and the Model of Psychosocial running through the history of the institution, with the signer latter Social Service.