A AGENDA DA FAO NA ÁFRICA: A MELHOR ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO?

Daniela Maia Cunha, Elga Lessa de Almeida

Resumo


O continente africano enfrenta profundas crises econômicas e sociais há décadas. Para alguns, as causas estão na falta de planejamento econômico por parte dos chefes de Estado, na corrupção, nos desastres naturais, em geral, fatores endógenos. Já para outros, as causas remetem a séculos passados, decorrentes dos processos de colonização e exploração da mão de obra negra e matérias-primas. Nas últimas décadas, o processo de globalização e seu viés neoliberal também ocupou papel fundamental neste cenário. O pós-segunda guerra mundial é caracterizado por mudanças profundas na arquitetura internacional, na qual as Organizações Internacionais passam a ocupar um papel de destaque. Dentre as instituições que se voltaram para o continente, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) configurou-se como um espaço de diálogo entre as demandas dos países africanos e os ditames do contexto internacional e suas estratégias de desenvolvimento. Figurando como uma importante fonte de análise, os relatórios produzidos pela FAO, frutos das conferências realizadas a cada dois anos pela organização no continente, revelam como o discurso e a agenda da organização voltada para o continente é influenciada por um contexto político-econômico controlado pelas instituições de Bretton Woods. No presente artigo, apresentaremos a agenda da FAO para o continente africano em articulação com o cenário internacional, buscando evidenciar a adequação dessa agenda aos objetivos fundantes dessa organização.


Palavras-chave


FAO. Insegurança Alimentar. África. Agenda.

Texto completo:

PDF/A

Referências


AFDB. African Development Bank Group (2018). Disponível em: https://www.afdb.org/en/. Acesso em: 13 abri. 2018.

ARRIGHI, Giovanni. O Longo Século XX. São Paulo: Editora Unesp, 1996.

BATISTA, Paulo Nogueira. O Consenso de Washington: a visão neoliberal dos problemas latino-americanos. Caderno Dívida Externa, São Paulo, n. 6, nov/1994.

BELLUZZO, L. Gonzaga. O declínio de Bretton Woods e a emergência dos mercados “globalizados”. In: Os antecedentes da Tormenta: origens na crise global. SP: Unesp, 2009.

BUAINAIN, A.M; GARCIA, J.R; VIEIRA, P.A. O desafio alimentar no século XXI. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, vol. 24, n. 2, p. 497-522, outubro/ 2016.

CAMARGO, A. S. Globalização e Hegemonia nas Relações Internacionais. 2013. 117f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

CORDERO, C.C.R. Evolução do conceito de Segurança Alimentar Caso Bolívia. 2013. 169f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

CLAPP, Jennifer; COHEN, Marc J. The food Crisis and Global Governance. In: CLAPP, Jennifer; COHEN, Marc J (orgs).The Global Food Crisis: Governance Challenges and Opportunities. Ontario: Wilfrid Laurier University Press, 2009.

DE PAULA, N. M; SANTOS, V. F; PEREIRA, W. S. A financeirização das commodities agrícolas e o sistema agroalimentar. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, vol. 23, n. 2,294- 314, outubro/2015.

EICHENGREEN, Barry. A globalização do capital: uma história do sistema monetário internacional. SP: Editora 33, 2000.

FAO. Informações institucionais sobre a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Disponível em: http://www.fao.org/about/en/. Acesso em 21 mar. 2017.

FAO. FAO Regional Office for Africa. Disponível em: http://www.fao.org/africa/arc/en/. Acesso em: 03 abr. 2018.

FAO. Report of Seventh FAO Regional Conference for Africa. Libreville, 1972.

FAO. Report of Eight FAO Regional Conference for Africa. Rose Hill, 1974.

FAO. Report of Ninth FAO Regional Conference for Africa. Freetown, 1976.

FAO. Report of Tenth FAO Regional Conference for Africa. Arusha, 1978.

FAO. Report of Eleventh FAO Regional Conference for Africa. Tomé, 1980.

FAO. Report of Twelfth FAO Regional Conference for Africa. Algiers, 1982.

FAO. Report of Thirteenth FAO Regional Conference for Africa. Harare, 1984.

FAO. Report of Fourteenth FAO Regional Conference for Africa. Yamoussoukro, 1986.

FAO. Report of Fifteenth FAO Regional Conference for Africa. Mauritius, 1988.

FAO. Report of Seventeenth FAO Regional Conference for Africa. Acrra, 1992.

FAO. Report of Eighteenth FAO Regional Conference for Africa. Gaborone. 1994.

FAO. Report of Nineteenth FAO Regional Conference for Africa. Ouagadougou, 1996.

FAO. Report of Twentieth FAO Regional Conference for Africa. Addis-Ababa, 1998.

FERNANDES, José Aló. Integração para o Desenvolvimento da África. São Geraldo: Unijuí, 2009.

FRIEDMANN, Harriet. The Political Economy of Food: The Rise and Fall of the Postwar International Food Order. American Journal of Sociology, Chicago, v. 88, p. 248-286, 1982.

GIBSON, Mark. The Feeding of Nations: Re-defining Food Security for the 21ST Century. Boca Raton: CRC Press, 2012.

GUSTAFSON, Daniel J; Markie, Jonh. A Stronger Global Architecture for Food and Agriculture: Some Lessons from FAO’s History and Recent Evaluation. In: CLAPP, Jennifer; COHEN, Marc J (orgs).The Global Food Crisis: Governance Challenges and Opportunities. Ontario: Wilfrid Laurier University Press, 2009.

HERBST, Jeffrey. The Structural Adjustment of Politics in Africa. World Development, New Jersey, v. 18, n. 7, p. 919-958, 1990.

KRAYCHETE, Elsa Sousa. Cooperação internacional para o desenvolvimento: institucionalidades e agendas em distintos contextos econômicos e políticos. In: IVO, Anete B.L. (org.). A reinvenção do desenvolvimento: agências multilaterais e produção sociológica. Salvador: EDUFBA, 2016.

LANCASTER, Carol. Aid to Africa: So Much to Do, so Little Done. Chicago: The University of Chicago Press, 1999.

MALUF, R.S; MENEZES, F; MARQUES, S.B. Caderno Segurança Alimentar. Paris: FHP, 2000.

MARGULIS, Matias E. Hunger in a Globalizing World: International Organizations and Contestation in the Global Governance of Food Security. 2011. 306f. Dissertação (Doutorado em Filosofia)- McMaster University.

MCKEON, Nora. The United Nations and Civil Society: Legitimating Global Governance—Whose Voice? New York: Zed Books, 2009.

MOYO, Sam. Agrarian transformation in Africa and its descolonisation. In: CHERU, Fantu (org.); MODI, Renu (org.). Agricultural development and food security in Africa: the impact of Chinese, Indian and Brazilian investments. London: Zed Books, 2013.

NSOULI, Saleh M. Structural Adjustment in Sub-Saharan Africa. Finance and Development. v. 26, September/1989.

PEREIRA, João Márcio Mendes. Banco Mundial: dos bastidores aos 50 anos de Bretton Woods. Topoi, Rio de Janeiro, v. 15, n. 29, p. 527-564, jul./dez. 2014.

PEREIRA, João Márcio Mendes. Modernização, combate a pobreza e mercantilização de terras. Varia Historia, Belo Horizonte, vol. 32, n. 58, p. 225-258, jan/abr 2016.

PIMENTA, Carlos. Globalização em África e (Des)Humanismo. Conferência Internacional Humanismos Latino e Africano: Encontros e Desencontros. Dakar, jan 2003.

RAKOTOARISOA, Manitra A; IAFRATE, Massimo; PASCHALI, Marianna. Why has Africa become a Net Food Importer: Explaining Africa Agricultural and Food Trade Deficits. Roma: Food and Agriculture Organization on the United Nations, 2011.

SUSAN, G. A Revolução Verde. In: Mercado da Fome: as verdadeiras razões da fome no mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

SHAW, D. John. World Food Security: a history since 1945. 1ª edição. New York: Palgrave Macmillan, 2007.

UNRIC. Centro Regional de Informação das Nações Unidas. Relatório sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2010. Instituto de Estudos para o Desenvolvimento. Mem Martins, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2018.n245.p395-428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.