NEOLIBERALISMO E FLEXIBILIZAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NO BRASIL E NA FRANÇA

Maurício Azevedo de Araújo, Renata Queiroz Dutra, Selma Cristina Silva de Jesus

Resumo


No contexto mundializado de ascensão de uma “racionalidade neoliberal” e desmonte dos direitos e dos mecanismos de proteção social, este artigo procura demonstrar como as reformas trabalhistas no Brasil e na França estão em conformidade com esta racionalidade, que visa à regulação das relações de trabalho sob o paradigma do direito privado e sua lógica negocial. O artigo é composto de três partes principais. Na primeira parte, será feita uma reflexão sobre o neoliberalismo e a precarização social do trabalho no Brasil e na França. Em seguida, serão analisadas as mudanças recentes na legislação trabalhista brasileira, notadamente no que concerne à aprovação do projeto de lei que libera a terceirização de atividades-fim no país (Lei nº 13.429/2017), bem como a Lei nº 13.467/2017 (Reforma trabalhista). E por fim, no caso francês, o foco de análise recairá sobre as duas últimas reformas trabalhistas implementadas em 2016 e 2017, dando ênfase ao debate do negociado sobre o legislado, da flexibilidade das dispensas e dos limites da jornada de trabalho.


Palavras-chave


Neoliberalismo; Precarização; Direito do Trabalho; Reformas; Brasil; França.

Texto completo:

PDF

Referências


ARFI-ELKAÏM, Dahlia. Les principaux changements en droit du travail à compter du 1er janvier 2017. Disponível em: < https://www.jdbavocats.com/actualite-droit-social/206-les-principaux-changements-en-droit-du-travail-a-compter-du-1er-janvier-2017.html> . Acesso em: 17/11/2017.

BARRETO, T. da R. Trabalhadores informais e desempregados: a precarização como homogeneização “sui generis” na formação dos “sem emprego”. Salvador: UFBA, 2005, 270p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal da Bahia, 2005.

BOURDIEU, Pierre. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Tradução de Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.

BRASIL. Constituição da Republica Federativa do Brasil 1988. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 30/07/2009.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social. Petrópolis: Vozes, 1998.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DELGADO, Gabriela Neves; AMORIM, Helder. Os limites constitucionais da terceirização. São Paulo: LTr, 2014.

DIEESE. Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2016. Disponível em: http://www.dieese.org.br/balancodosreajustes/2016/estPesq81balancoReajustes1semestre2016.pdf. Acesso em 20/11/2016, 15h30.

DRUCK, G. Globalização, reestruturação produtiva e movimento sindical. Caderno CRH, Salvador, n. 24/25, p. 21-40, jan./dez. 1996. .

DRUCK, G. Terceirização: (des)fordizando a fábrica – um estudo do complexo petroquímico de Camaçari. Campinas: Boitempo, 1999.

DRUCK, G. Precarização social do trabalho. In: IVO, A. B. L. (Coord). Dicionário temático desenvolvimento e questão social: 81 problemáticas contemporâneas. São Paulo: Annablume; Brasília: CNPq; Salvador: Fapesb, 2013, p. 373-380.

DRUCK, G. Precarização social do trabalho. In: IVO, A. B. L. (Coord). Dicionário temático desenvolvimento e questão social: 81 problemáticas contemporâneas. São Paulo: Annablume; Brasília: CNPq; Salvador: Fapesb, 2013, p. 373-380.

DRUCK, G; FRANCO, T. A perda da razão social do trabalho: terceirização e precarização do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2007.

DUTRA, Renata Queiroz. Entre a normatização estatal e a negociação coletiva: os desafios da proteção social ao trabalho. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, v. 82, p. 272-301, 2017.

ESPINA, Álvaro. La reforma de la ley de trabajo en Francia: un caso de estúdio. Boletín económico de ICE, Información Comercial Española, ISSN 0214-8307, Nº 3076 (Del 1 al 30 de Junio 2016), 2016, págs. 15-36. Disponível em: < https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5767334>. Acesso em: 01/08/2017.

EYDOUX , Anne; FRETEL, Anne. Réformes Du marche du travail - Des reformes contre l'emploi, jan. 2016. Disponível em: . Acesso em: 10/7/2016.

FILGUEIRAS, Vitor; CAVALCANTE, Sávio. Terceirização: um problema conceitual e político. Le Monde Diplomatique Brasil, p. 26 - 27, 05 jan. 2015.

GALVÃO, Andréia. Neoliberalismo e reforma trabalhista no Brasil. Campinas, 2003. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Departamento de Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HIRATA, H; PRÉTECEILLE, E. Trabalho, exclusão e precarização socioeconômica: o debate das ciências sociais na França. Caderno CRH, Salvador, n. 37, p. 47-80, jul./dez. 2002.

LANDRÉ, Marc. Malgré la loi travail, les Français ont moins fait grève en 2016. Paris, Le Figaro, 18/01/2017. Disponível em: < http://www.lefigaro.fr/social/2017/01/18/20011-20170118ARTFIG00018-malgre-la-loi-travail-les-francais-ont-moins-fait-greve-en-2016.php>. Acesso em: 07/07/2017.

LOURENÇO FILHO, Ricardo. Liberdade Sindical: percursos e desafios na história constitucional brasileira. 1º. ed. São Paulo: LTr, 2011.

MORIN, Marie-Laure. Derrière «le pragmatisme» des ordonnances, la perversion des droits fondamentaux. Paris, Droit ouvrier, ISSN 0222-4194, nº. 831, 2017, p. 590-597.

OIT. World employment and social outlook 2015: The changing nature of jobs / International Labour Office. – Geneva: ILO, 2015.

SCHÖMANN, Isabelle. Réformes nationales du droit du travail en temps de crise : Bilan alarmant pour les droits fondamentaux et la démocratie en Europe. , Revue Interventions économiques [En ligne], 52 | 2015, mis en ligne le 01 mars 2015, consulté le 18 décembre 2017. Dispoínvel em: < http://journals.openedition.org/interventionseconomiques/2437> . Acesso em: 17/06/2017.

SOUTO MAIOR, Jorge Luís. “A CLT é velha”, publicado em 27/3/2017 no blog pessoal do autor. Disponível em: http://www.jorgesoutomaior.com/blog/i-a-clt-e-velha. Acesso em 23/5/2017, 18h12.

WILLEMEZ, Laurent. Le travail dans son droit. Sociologie historique du droit du travail en France (1892-2017). Paris: L.G.D.J, 2017. (Collection: Contextes).




DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2017.n242.p558-581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.