OS NOVOS HORIZONTES DE EXPLORAÇÃO DO TRABALHO, DE PRECARIEDADE E DE DESPROTEÇÃO

Angela Borges

Resumo


O artigo discute o impacto sobre os que vivem do trabalho das reformas em curso no Brasil, a partir de 2016, tendo como referência as mudanças ocorridas no último quarto de século. Com base na literatura e em indicadores sobre o mercado de trabalho, são analisadas três conjunturas econômicas e políticas: os anos de 1990 a 2002, quando ocorre a primeira ofensiva neoliberal, a qual levou à desestruturação do mercado de trabalho e a perdas generalizadas dos trabalhadores; o período de 2003-2014, conjuntura de recuperação com perfil desenvolvimentista de intervenção do Estado e um conjunto de políticas ativas de trabalho e renda que melhoraram as condições do mercado laboral; e a conjuntura que se iniciou em 2015-2016, de reversão do ciclo de expansão e que dá início à segunda ofensiva neoliberal. O estudo conclui discutindo o caráter socialmente regressivo dessa ofensiva que busca a completa re-mercantilização da força de trabalho e da sua reprodução.

Palavras-chave


Neoliberalismo. Trabalho. Estado. Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2016.n239.p713-741

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.