O PROFESSOR SOB SUSPEITA E RISCO - INDICADORES DE PRECARIZAÇÃO E RESISTÊNCIA NO TRABALHO DOCENTE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS

Denise Vieira

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar o processo progressivo de precarização social do trabalho docente, como estratégia das políticas neoliberais para a educação, utilizando como estratégia de demonstração um conjunto de indicadores qualitativos. Trata-se de um fenômeno que tem como dimensões centrais os mecanismos de avaliação e produtividade, que colocam sob controle do mercado a produção do conhecimento nas Universidades Federais e os professores sob suspeita por parte do sistema. É baseado na construção de indicadores qualitativos que mostram as alterações no processo de trabalho que geram impactos para a qualidade da pesquisa, do ensino e da extensão. A intensificação do trabalho, a necessidade permanente de captação de recursos e a meritocracia impõem um trabalho em regime de urgência que termina por prejudicar a essência do fazer científico - a criação. O professor é colocado no centro de contradições que comprometem a sua autonomia, identidade e saúde, fatores que colocam sua vida em risco. O estudo também identifica indicadores de resistência que apontam para discursos e até ações contra-hegemônicas que emergem no cotidiano das Universidades. O desafio é compreender a resignação dos docentes, reféns dos mecanismos instituídos que premiam, castigam, classificam e excluem e o processo de subjetivação permeado, ao mesmo tempo, por sentimentos de gratificação e frustração.

Palavras-chave


Precarização do trabalho. Educação superior. Subjetivação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.